quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Recordações de e com Eva....

estou a tremer, apetece-me fazer o que sussurraste ao meu ouvido.. por mim, por tudo..mas não quero, não posso, não sei...
aperto ansiosamente a rosa que me deixaste..pétalas aveludadas que me lembram a tua pele... conto mentalmente os segundos em que sustenho o ar nos meus pulmões...1..2...3..4..5..6..7..8..9..10... expiro lentamente despejando o peito até sentir a ultima lufada... sensação de paz momentânea.. a tua visita fez-me recordar velhas historias... Eva... procuraste-me depois de tantos anos... com esse sorriso de criança travessa, os teus olhos continuam como antes cheios de malícia... disseste que o tempo em fomos um só foi fantástico para ti.. eras selvagem, o teu corpo alvo governado por essa língua afiada eram o meu devaneio.. com o tempo foste-te afastando de mim.. encontraste novas paisagens para contemplar e novas sensações para descobrir... como sempre partilhaste as tuas aventuras luxuriantes comigo mas não te apercebeste que mudei... já não sou a mesma pessoa de outrora... mas continuo a precisar de estabilidade..de atenção Eva!!! estou a falar para as paredes como se tu me pudesses ouvir.. gostava de te poder gritar aos ouvidos tudo aquilo que penso...não consigo!!! as paredes continuam mudas e eu continuo a falar para a tua presença apenas visível na minha mente... oh Eva... é difícil.. apareces num dia em que tudo parece correr mal... é no trabalho, em casa, amorosos que não me larga aquela besta... imagina o meu espanto quando entro para beber o meu chá de final de tarde, no local de sempre que ainda não fui capaz de mudar porque este sitio me lembrava de ti, e lá estas tu...sentada na minha mesa, linda como sempre... cresceste, estas mais segura ti , como se isso fosse possível, os teus lábios que noutros tempos me devoravam pintados de cor de vinho.. lábios de vinho como eu dizia...não te esqueceste desse detalhe subtil... a mesa que partilhei contigo durante os anos de faculdade nos nossos finais de tarde em que namorávamos descaradamente sem nos esconder de ninguém está cheia hoje... só a tua presença iluminou o local... e tu apareces assim do nada... não te via desde que nos licenciámos.. estás igual, sorridente, alegre, impulsiva e provocadora... fomos unha e carne durante dois anos... uma só alma... tu lá ias ter com outros para variares como dizias... eu não era capaz, mas respeitava isso em ti.. eles podiam dar o que eu e tu bem sabíamos que entre nós não podia haver... tolas.. nunca mais tive nenhuma miúda depois de ti; aliás, foste a única.. voltei para os homens tal como antes de te conhecer e tenho procurado o sonho dito normal.. casar e ter filhos... já estou pronta para isso Eva... não me venhas retirar o meu sossego... eu quero ser esta Amanda... aquela que já não se mete nas tuas loucuras... vou ter de resistir tentar negar o teu ultimo capricho...  

1 comentário:

Criatura da Noite disse...

O amor é um dos sentimentos mais belos do Universo, sobretudo, se for correspondido...