segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

A Amaterasu...

o velho radio canta a mesma melodia vezes sem conta ... não me apetece muda-la... time is on your side.... repete aquela voz entrando em mim lentamente e martelando as mesmas ideias difusas... vou ordenar as ideias... por onde começo? por mim? identificando-me perante aquilo que penso ser? vou tentar...
-sou a Maria.... a romântica incurável... a que ama em demasia e sofre em exagero, a que se entrega e dá tudo de si... 
não, espera... não sou a Maria...
-sou o Manuel... aquele que se perde na melodia de um outro dia que já não existe e se entrega no embalo da saudade, o que sofre na pele os flagelos do amor e por ele morre definhando dia a dia agarrado à recordação da felicidade que escorreu das suas mãos...
espera...
-sou a Amanda... a que se esconde dos outros e do passado no seu pequeno mundo, aquela que se perde na inquietude da liberdade roubada por quem não se quer... serei eu ela? 
-não, talvez eu seja o Luís... o que mantém a vida dupla... o saltimbanco das mascaras opostas... o marido fiel e honrado que esconde o amante do pecado... 
hmmm será que sim? não sei... 
-sou a Eva? a selvagem... a que corre livremente pelos prados amando e esquecendo... esquecendo e amando a luxuria, o calor, o momento.... 
a musica está a recomeçar de novo, já nem sei quantas vezes hoje o piano me ofereceu as notas dedilhadas suavemente pelo dono desta voz... para quê perder tempo em tentar saber quem sou? posso ser tantas coisas e viver tantos momentos diferentes absorvendo-os com a intensidade necessária para me sentir viva...
gosto da pureza da Maria, do sofrimento do Manuel, do mundo da Amanda, dos segredos do Luís, e do pecado da Eva... e gostarei de pequenos pormenores de tantas outras identidades ainda por descobrir e criar com os traços leves dum lápis roído,  no eterno caderno preto onde residem os pequenos rasgos de nada ... os rasgos de Amaterasu... as personagens de ninguém que poderias ser tu...

2 comentários:

johnny disse...

Vou ficar por este blogue, tentando descobrir as personagens.
Já li alguns textos e estou a gostar muito. Todos muito bem escritos... uma orientadora minha dizia que não gostava muito de reticências, que ás vezes podiam ser substituídas por um ponto final ou qualquer outra coisa e eu,a partir daí, fiquei com essa panca também, pelo que reparei que há abundância desse sinal de pontuação por aqui. Mas, tirando isso, perfeitos os textos nas suas micro-realidades e nas suas personagens.

(Peço desculpa por exagerar no comentário)

Amaterasu disse...

agradeço a critica construtiva.apanhei este habito (de reticenciar) com um "professor" que me dizia para tentar fazer pausas para o leitor descansar e ler com calma, para sentir... infelizmente não consigo perder este velho habito. mas vou tentando :)