segunda-feira, 1 de março de 2010

O Amor

Porquê amar?
sim!
Amar por amar
Para quê, para quê?


Se gozam connosco por amar, amar
De corpo e alma para um dia voltar a chorar?


Para quê?
sim, dar amor, dar
e dar e não parar de dar 
e um dia ser triste, desolado, desalentado
por nao sermos correspondidos?
mas, porquê?


Amarei,
Voltarei a amar
Sempre que preciso 
e nos braços 
Desolados da solidão,
Gritarei amor até mais não!

(Antologia de Novos Poetas : As palavras do Amor, editora: Elefante Editores 1999)

[ escrevi este poema para um desafio literário proposto aos jovens da minha cidade quando tinha 12 anos que acabou em publicação, passado tanto tempo ainda me revejo nestas palavras. apeteceu-me partilhá-lo.. :) ]

3 comentários:

johnny disse...

Para 12 anos, não está mal, mas também não aprecio (nem sei apreciar) poesia. Gosto do "Quase" do Mário de Sá-Carneiro, de alguns do Pessoa, do "Cântico Negro" do José Régio de de mais alguns avulsos.

Pelos teus links, dá para ver que conheces a Fábrica das Letras, porque não participas?

Amaterasu disse...

eu gosto de poesia se ela me fizer sentir, se me tocar de alguma forma..aliás gosto de tudo que me faça sentir :) por vezes caio no erro de sentir demasiado (se é que isso é possível) na altura escrevi isso durante uma fase em que para o adolescente é critica : o primeiro desgosto de amor.

se calhar participo este mês...a ver vamos moçoilo:)

Anónimo disse...

promissor começo... com um desenvolvimento não menos promissor.
porquê amar?
para saber o que é ausencia de amor.
abraço do vale